segunda-feira, 21 de outubro de 2013

5 coisas que nunca entendemos nos Desenhos Animados

Fala, galera! O Cinco Listas volta hoje com outra lista comentada, e dessa vez, a lista é do nosso querido blog Puxa Cachorra (Descanse em Paz), assassinado (Desativado) pelo Vinicio dos Santos, há alguns meses.
Claro, estava demorando para aparecer uma homenagem como essa no nosso blog! Sentem-se no sofá e peguem a pipoca, porque começa agora a sua sessão "Vale a Pena ver de Novo" com um dos melhores posts escritos pelo Vinicio e sua equipe:

Depois dos vinte anos, uma das nossas alegrias é lembrar como era boa a programação infantil da nossa época, em comparação com essas porcarias que existem hoje, sempre esquecendo que nós devemos ter no mínimo um disco da Xuxa em casa (Na verdade eu tenho coisa pior!), provavelmente aquele em que ela está pelada na banheira com flores na capa. Dominado por essa nostalgia sem razão, eu resolvi fazer essa lista, com cinco coisas que eu nunca entendi nos desenhos animados da minha infância.

5- Como é que o Babar podia ser daquele tamanho?

Desenhos com animais como protagonistas são bastante comuns, especialmente com animais que cabem dentro da cena, o que explica a preferência por cachorros, gatos, e até aquele abominável cavalo de fogo. Nos anos 90, alguém pensou “que nada, vamos fazer um desenho com um elefante!”, e então surgiu Babar, que é só um pouquinho mais baixo do que a velhinha de vestido azul que cuida dele.A melhor explicação: o Babar, na verdade, era um pigmeu fantasiado que estava enganando a pobre velhinha, o que inclui o requinte de dar fantasias de elefantes e rinocerontes a mais uma porção de pigmeus para endossar a farsa.
Mas outra boa pergunta é como Babar, além de ser um elefante em miniatura, podia tocar piano e pertencer à aristocracia inglesa?


Minha Teoria: Aluno do Chuck Norris! A não ser que você tenha uma teoria melhor, Babar foi retirado das Savanas Africanas e educado por Chuck, que, após ensina-lo a ser f#dastico, o deixou aos cuidados da velhinha de azul, que dizem por aí, é sua mãe, mas ninguém pôde nos confirmar a teoria em questão!

4- Por que, de todos os desenhos que já foram feitos, só no He-man os personagens piscavam?
Um dos grandes momentos de revelação da minha vida foi quando eu descobri que o Castelo de Greisco, na verdade, se chamava Castelo de Grayskull. He-man é um dos grandes ícones dos anos 80, um desenho que marcou época e que, se for assistido hoje, dá vontade de saltar da ponte de tão ruim (Eu por outro lado acho tão legal quanto exame de próstata!). A animação era completamente travada e, numa tentativa desesperada de dar feições “reais” para o desenho, decidiram que os personagens humanos precisavam piscar a cada cinco segundos
A melhor explicação: as piscadinhas de He-man nada mais eram do que o seu jeito de jogar um charme para cima do Mentor, homem mais velho com um bigode másculo que fazia a cabeça do Príncipe de Eternia. Ou em algum momento vocês acreditaram que um cara musculoso e bronzeado, que usava a peruca do Pablo do "Qual é a Música?" podia gostar de mulher?
Mas outra boa pergunta é porque o Gorpo usava um cachecol? Um cara que usa uma camisola sem nada por baixo não pode reclamar de frio.


Minha teoria: Dublagem, meu querido! Você quer personagem mais fácil de dublar do que aquele em que a boca não aparece? Foi a mesma coisa com relação a Máscara de Bane, em "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge"!
Quanto as piscadinhas, é óbvio que ele queria pegar o Mentor! Ele tinha uma tara absurda pelo Mentor! Todo mundo que gostava do He-man na época (e até alguns que não gostavam) tinham! Tem uma revista em quadrinhos na internet inclusive com um conto erótico dos dois, (que eu encontrei por acidente mas nunca li, juro!)!
Será que o Vinicio leu?



3- Por que só eu consigo lembrar de um desenho chamado Bojan, que passava no Glub Glub?
Na hora de falar dos desenhos, já deve ter acontecido com vocês mencionar algum que ninguém, além de você, lembra de ter assistido, não é? Eu lembro de um desenho do Glub Glub que se chamava Bojan, sobre um bichinho que saía pintando o mundo com as três cores primárias. Na verdade, eu lembro só de um episódio, quando ele encontrava um bichinho igual a ele, que só tinha tinta preta e branca, os dois ficavam amigos e saíam pintando juntos. Acho que vocês não fazem idéia do que raios eu estou falando, não é?

A melhor explicação: a gente passa por um monte de doenças quando é criança, então provavelmente eu devia estar com febre ou caxumba ou catapora quando delirei e achei que esse desenho existia. Vou olhar no Google só por para não dizer que não tentei.


Opa, acho que alguns amigos me devem um pedido de desculpa.

Minha teoria: Isso, meu querido Vinicio, pode ser um grave sinal de que você está ficando velho! Prepare-se para a barba e cabelo branco crescerem, para a sua pele começar a enrugar e para sentir aquela dor chatíssima no ciático, porque eles estão vindo aí!

Mas outra boa pergunta é, ainda lembrando do Glub Glub, por onde é que as pessoas entravam no aviãozinho do Jimbo?

Minha teoria: Será que era pelo... Vamos usar o termo científico para não censurarem esse blog: Pelo orifício corrugado localizado na parte ínfero-lombar da região glútea da anatomia desse indivíduo? Se for o caso, a viagem não deve sem nem um pouco agradável, convenhamos!



2- Por que o desenho se chamava Ursinhos Carinhosos se só existia meia dúzia de ursinhos?
A música dizia que “Os Ursinhos Carinhosos / Estão aí para ajudar / se precisar / é só chamar”. E aí aparecia um leãozinho carinhoso, um elefantinho carinhoso, um guaxinim carinhoso, mas ursinho mesmo só tinha aquela velha que contava as histórias e dois ursinhos filhotes (que tinham o mesmo tamanho dos outros – proporção não é o forte dos desenhos animados).

A melhor explicação: “Ursinhos Carinhosos” era apenas o nome fantasia da Joserley Auxílios Gerais Ltda., empresa de grande sucesso fundada pelo ursinho carinhoso pai daqueles filhotes. Com o tempo, ele deixou de ralar com os empregados carinhosos e se recolheu à presidência, deixando que eles se lascassem dando lição de moral em crianças e fugindo do Coração Gelado.

Minha Teoria: Eu por outro lado serei mais cético: Todos nós, que temos um pouquinho mais do que dezoito anos, e crescemos assistindo os Ursinhos carinhosos (que hoje também são tão legais quanto exame de próstata) sabemos que eles são fruto de uma boa dose de Marijuana (Sim, maconha), e como tudo aquilo que é produto da maconha, não adianta questionar porque não tem explicação: Apenas aceite!

Mas outra boa pergunta é que diabos eram aquelas onda magnéticas que eles lançavam da própria barriga? O desenho devia chamar “Ursinhos Radioativos”, isso sim.

Mas é claro que são radioativos, senhor Vinicio! Basta olhar para a foto que o senhor usou no ítem! Qual é o simbolo que está na barriga do ursinho azul-escuro, sentado, no meio da foto? Esses ursinhos são frutos de uma série do mesmo tipo de experiências que originou o Frankstein!



1- Por que os capangas dos bandidos no Power Rangers, mesmo em número maior, lutavam mano a mano?
Tudo bem que Power Rangers não é um desenho (Tá mais para Tokusatsu), mas ele é o responsável pela maior dúvida da minha infância. Antes de aparecer o monstro do episódio, e antes de ele crescer e esmagar a cidade, o vilão mandava de 30 a 40 capangas sem expressão atrapalhar os cinco Power Rangers, e, ao invés de eles cercarem os heróis e baterem todos ao mesmo tempo, preferiam ir de cinco em cinco, enquanto os outros ficavam ao fundo aquecendo até chegar a vez deles.

A melhor explicação: código de ética! A Rita Repulsa e o Lord Zed podem querer conquistar o Universo, mas isso não significa que eles não tenham honra. Os capangas são orientados a serem justos nas brigas. Além do mais, os chefões também acham correto que os capangas tenham um ponto fraco BEM EVIDENTE, como aquele Z no meio do peito que desmontava na mesma hora os monstros do Lord Zed.

Minha Teoria: Essa também foi uma de minhas grandes dúvidas também, mas eu creio que seja pelo chatíssimo mas sempre presente PROTAGONISMO. Não importa o que acontecesse, ou quem acontecesse, mas os Rangers sempre tinham que vencer! Será que ia rolar se eles enfrentassem todos os quarenta caras aos mesmo tempo?
Se bem que nas versões mais recentes de Power Rangers, há algumas vezes em que os Heróis apenas passam calmamente pelos capangas segurando algum armamento, e quando se colocavam a uma distância segura, os capangas explodiam! Era muito f###!

Mas uma outra boa pergunta é por que os Power Rangers jamais tentaram simplesmente esmagar o monstro com o MegaZord antes que ele crescesse? Mais uma vez: código de ética. Não vão ser logo os mocinhos que vão trapacear.



Minha Teoria: Só pode mesmo ser o código de ética! Se bem que, se antes eles pegassem o Megazord, o monstro também cresceria, e a luta daria no mesmo! Melhor lutar no chão sem destruir o prédio de ninguém, né?

Postar um comentário

Postagens populares